Exposição “See Through” LISBOA e COMPORTA (8,9 de Julho a 22 de Agosto)

Exposição Vintage Department - Mahogany Wall Lisboa“See trough”

Vemos a realidade por um mundo de reflexos , orifícios, aberturas ou frinchas.

Através de um vidro, invertida num espelho ou num embaciado impressionista .

Na curvatura de uma garrafa, entre uma construção ou o seu oposto

Na superfície da água parada de um lago ou de uma simples poça .

Do ar, ou no irreal de camadas de papel que se esboroam, coloridas , sem sentido.

Pelo olho , sem macula, ou pelas lentes que o corrigem.

E ainda o pretendemos registar ou simplesmente comunicar, usando outras, as da câmara fotográfica ou mais prosaicamente do telemóvel .

E vemos também, cada um, um mundo, por lentes alheias nos ecrãs que escolhemos e nos seduzem.

E apesar disso, fica ainda, o convencimento de que o que vemos é um registo incontestável do real.

A fotógrafa americana Diane Arbus dizia da fotografia que “é um segredo sobre um segredo, quanto mais te mostra menos te conta” e o também americano e fotografo Ansel Adams , que “ não fazemos uma foto apenas com uma câmara ; ao acto de fotografar trazemos todos os livros que lemos, os filmes que vimos, a música que ouvimos, as pessoas que amamos “.

Fotografando ou não, não vemos portanto; simplesmente .

Vemos, mesmo que despidos de todos os artefactos, no meio do mais profundo dos desertos, depurados de tudo, no mínimo, através de nós próprios transparência ou densidade, miragem ou real, utopia ou pragmatismo, mas sempre “através de”.

É este olhar – pessoal , como são todos os olhares – sobre nós próprios, sobre o mundo, e nada mais, o maior desafio de “See through” .

Luís Pereira, Julho de 2016

http://www.luispereiraphotography.com

comporta 1

 

 

Advertisements